Fale agora com um dos nossos especialistas

Assinaturas

Como UX e o Design ajudam um clube de assinaturas a vender mais?

Claygrégori Matos 8 min de leitura 23 de fevereiro de 2021

Não é novidade que clubes de assinatura são uma tendência de mercado já consolidada para quem vende online. Estima-se que este mercado movimenta R$1 bilhão por ano no Brasil.

Segundo pesquisa da Ebit/Nielsen, o número de heavy users cresceu 5% no primeiro semestre de 2020 em comparação com o ano anterior. Cerca de 7,3 milhões de brasileiros realizaram sua primeira compra online nesse mesmo período, um crescimento de 40%.

Mais e mais empresas que já possuem seu e-commerce estão optando por este modelo de negócio, que tanto abre portas para novos clientes, como ajuda a estabilizar a economia.

Muito além de oferecer um serviço ou produto, um clube de assinaturas proporciona experiências. Aí entra o conceito de UX. Proporcionar uma relação de qualidade de uma pessoa e o que está sendo oferecido.

Um UX Designer está preocupado em oferecer ao cliente uma experiência completa, do início ao fim. Isso inclui desde a entrada do cliente no site, execução da compra, até a qualidade da entrega e o seu uso.

Vale lembrar que uma má experiência, seja qual for, é mais fácil de ser lembrada. É fundamental estabelecer uma conexão clara, objetiva e satisfatória com o usuário.

O profissional de UX é, portanto, uma peça chave para alavancar as vendas de um negócio digital. Principalmente se tratando de recorrência.

 

UX Design ou UX e Design?

 

UX Design é um termo muito criticado pelos próprios profissionais, por se tratar apenas de um braço do todo. Por isso, vamos explicar cada coisa separadamente.

O conceito de design é bastante amplo, e soa até genérico: um processo, ou ciência, que visa solucionar um problema – seja ele qual for. É simplesmente, o produto de uma concepção.

Já a UX (User Experience), ou experiência do usuário, trata dos bons cuidados envolvidos desde a informação de um produto, a sua compra, sua utilização e até a divulgação, por parte de uma pessoa.

Um é complementar ao outro. Surge uma dor, a experiência (UX) e as ferramentas (Design) são acionadas para desenvolver uma solução.

Então, se pensarmos em clubes de assinatura, uma boa experiência é equivalente à fidelização de novos clientes, ou seja, dinheiro no bolso.

 

Um bom design faz vender

 

Como o UX abrange todo um processo de comercialização, neste artigo vamos nos ater aos processos de design ligados a sua página, tornando-a mais atrativa e convertendo mais pessoas. O que não deixa de ser uma experiência, não é?

Então, listamos 4 pontos que acreditamos ser fundamentais para obter bons resultados no seu site. São eles: clareza, contrastes, redução de textos e aparência.

 

Onde cada coisa deve estar

 

Quando examinamos uma página web, ela deve ser evidente por si só, autoexplicativa. Steve Krug em seu livro “Não me faça pensar” nos diz muito sobre este conceito.

Cada coisa deve ser óbvia e não gerar ruído. Ele explica que todos os pensamentos devem surgir em harmonia, ordem. Sabendo bem onde cada coisa está encaixada, o que é executável ou o que é texto, onde estão as categorias do site ou, até mesmo, o botão para finalizar as compras.

Graças ao tempo e a democratização da internet, muitos elementos tornaram-se comuns.

Um usuário perdido em um site, saber que ao clicar na marca localizada normalmente no topo da página vai voltar para a home para aí poder se situar novamente, é um bom exemplo de padrão já estabelecido.

Se utilizar de padrões bem consolidados é um bom caminho para vender mais.

Tratando-se de clubes de assinatura, o cliente deve saber exatamente onde ele clica para conhecer os planos, ver depoimentos, benefícios, produtos anteriormente oferecidos e assinar.

 

Trabalhando contrastes

 

Existem vários tipos de ferramentas que colaboram para uma página simples e objetiva. O contraste certamente é uma delas.

Definir onde cada coisa deve estar é o primeiro passo. Desenvolver um wireframe, ou rascunho, alocando onde ficarão as coisas essenciais como o menu, vitrines, cards de produto, CTA de compra, é o caminho para construção dessas distinções.

Entender quais os elementos que uma interface pode oferecer é o próximo e fundamental passo.

Um site muito completo que vai ajudar aqui é o Material.io. Nele você encontra não só os possíveis e mais usados elementos de uma interface, como também suas respectivas boas práticas.

Por isso, para facilitar, trouxemos algumas dicas de contraste:

  • Estabeleça padrões de botão, sendo um deles de nível primário para vendas, e outro secundário para demais ações no site.
  • Utilize cores complementares, pois tanto harmonizam bem como servem ao propósito de distinção;
  • Opte por fontes de maior peso nos títulos de cada seção, estas facilmente localizarão os usuários e mostrarão o caminho correto a seguir. Caso só estejam procurando por informações estarão satisfeitos e poderão tornar-se clientes;
  • Hiperlinks são uma boa saída para um que site não fique poluído de botões, criando um layout harmônico e dando mais espaço para o CTA principal.

 

Omita palavras desnecessárias

 

A terceira lei de usabilidade de Krug diz: “Livre-se de metade das palavras de cada página. Depois, livre-se de metade das que restaram”.

A maioria dos usuários da internet não leem o que está contido nas páginas. Ainda por cima tratando de e-commerces.

Sendo assim, trabalhe chamadas rápidas e objetivas nas vitrines e nos nomes dos produtos/serviços. Deixe as informações para páginas internas.

Livrar-se de todas as palavras que ninguém lerá:

  • Confere maior destaque ao que realmente importa;
  • Reduz o nível do ruído ou interferência da página;
  • Torna as páginas menores, o que permite aos usuários visualizar mais de cada página sem precisar rolá-la.

Por falar em palavras, um outro ponto bem importante para um bom desempenho de um e-commerce é o SEO. Se quiser saber como o SEO pode ajudar um e-commerce a vender mais, clique na imagem a seguir. 

 

SEO para e-commerce por que ele ajuda a vender mais

 

A beleza importa

 

Estudos mostram que 75% das pessoas julgam a credibilidade de um site por sua aparência. Torna-se quase primordial que o site atenda bons padrões de estética.

Então, aí vai alguns sites que possuem boas referências visuais e podem contribuir positivamente com a aparência de seu site:

Desenvolver um site visualmente atrativo, ao passo que atende uma boa usabilidade para os clientes pode não ser uma tarefa simples.

Qual fonte encaixa melhor para o título das seções? Qual dobra fica melhor ranqueada nessa posição do site? Que cor usar para os botões e textos? Que tipo de imagem e padrões de ícone escolher? 

São apenas alguns exemplos de perguntas que se bem respondidas, darão harmonia ao layout e acabarão convertendo em mais e mais vendas.

Então, neste conteúdo objetivo e rápido vimos como UX Design pode ajudar um clube de assinaturas a vender mais. Se você quiser conhecer outras maneiras de potencializar o seu negócio digital, inscreva-se em nossa newsletter ou siga o nosso LinkedIn

Esperamos te ver em breve. Até a próxima!

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigos relacionados

Quer saber das últimas novidades do cenário digital?