Fale agora com um dos nossos especialistas

Tecnologia

Entenda qual é a diferença entre SaaS, PaaS e IaaS

Robox 12 min de leitura 4 de março de 2021
diferença entre SaaS, PaaS e IaaS

Qual a diferença entre SaaS, PaaS e IaaS? Provavelmente você se fez essa pergunta e chegou até esse conteúdo. A diferença principal entre os termos está no tipo de serviço que está sendo oferecido. 

Mas onde esse serviço é oferecido? Essa pergunta é mais simples de responder! Os serviços em questão, são oferecidos “na nuvem”.

A computação na nuvem, ou cloud computing, tem ganhando cada vez mais espaço entre empresas de todos os setores. Principalmente com o crescimento dos negócios digitais impulsionado pela pandemia da Covid-19.

A computação na nuvem tem diversas vantagens para alavancar esses negócios e as soluções se dividem em três principais categorias: IaaS (Infraestrutura como Serviço), PaaS (Plataforma como Serviço) e SaaS (Software como Serviço).

Esses são os três tipos principais de computação em nuvem. Ao longo deste texto, vamos explicar melhor sobre cada um deles, trazer alguns exemplos e dados para enriquecer ainda mais sua leitura. 

Então, vamos direto ao assunto!

 

Diferenças entre SaaS, PaaS e IaaS

 

SaaS, PaaS e IaaS são simplesmente três maneiras de descrever como um negócio pode utilizar a nuvem.

 

IaaS: infraestrutura como serviço

 

Um fornecedor oferece aos clientes o acesso pago por utilização ao armazenamento, à rede, aos servidores e a outros recursos computacionais em cloud.

Sendo assim, IaaS é a mais simples das três categorias. Isso porque funciona quase que independente do fornecedor de nuvem escolhido. De um modo geral, a IaaS possibilita uma infraestrutura de TI automatizada e escalonável (armazenamento, hospedagem, redes – de seus próprios servidores globais) cobrando apenas pelo o que o usuário consome.

Ou seja, ao invés de adquirir licenças de software ou servidores próprios, as empresas podem direcionar os recursos de forma flexível a partir das suas necessidades.

Exemplos de IaaS: AWS EC2, Rackspace, Google Compute Engine (GCE) e Digital Ocean.

 

Principais recursos IaaS

 

  • Ao invés de comprar todo o hardware, os usuários pagam pelo IaaS on demand.
  • Dependendo das necessidades de processamento e armazenamento, a infraestrutura é escalável.
  • Permite que as empresas economizem os custos de adquirir e manter seu próprio hardware.
  • Já que os dados estão armazenados em cloud, não haverá pontos de falha.
  • Permite a virtualização de tarefas administrativas, liberando tempo para outros trabalhos.

 

PaaS: plataforma como serviço 

 

Neste caso, um provedor de serviços oferece acesso a um ambiente baseado em cloud no qual os usuários podem construir e fornecer aplicativos. O provedor fornece infraestrutura subjacente.

O que isso quer dizer? A PaaS tem por objetivo, além de permitir todos os conceitos básicos da IaaS, oferecer as ferramentas e recursos necessários para desenvolver e gerenciar aplicativos com segurança, Isso sem a preocupação com a infraestrutura. Um exemplo disso, são os servidores que hospedam sites. 

Exemplos de PaaS: AWS Elastic Beanstalk, Heroku, Windows Azure, Force.com, OpenShift, Apache Stratos, Magento Commerce Cloud.

 

Principais recursos PaaS

 

  • Fornece uma plataforma com ferramentas para testar, desenvolver e hospedar aplicativos em um mesmo ambiente.
  • Possibilita que as empresas se foquem no desenvolvimento, sem preocupações com a infraestrutura subjacente.
  • Os provedores gerenciam a segurança, os sistemas operacionais, o software do servidor e os backups.
  • Ainda que as equipes trabalhem remotamente, facilita o trabalho colaborativo, 

 

SaaS: software como serviço

 

Talvez seja o termo mais conhecido! Neste caso, um provedor de serviços oferece software e aplicativos por meio da Internet. Os usuários subscrevem ao software e o acessam por meio da web ou de APIs do fabricante.

Em outras palavras. O SaaS é o local onde um software é hospedado por terceiros e pode ser acessado pela web, geralmente bastando um login. De modo geral, nesse modelo, a empresa contrata um plano de assinatura e utiliza as funcionalidades necessárias para os negócios. Por esse motivo, o SaaS é muito interessante para o uso de aplicativos específicos, como os de gestão de relacionamento com o cliente (CRM).

Exemplos de SaaS: Robox, Google Apps, Salesforce, Dropbox, MailChimp, ZenDesk, DocuSign, Slack, Hubspot.

 

Principais recursos SaaS

 

  • Os fornecedores de SaaS oferecem softwares e aplicativos por meio de um modelo de assinatura.
  • Os provedores SaaS gerenciam tudo! Não existe a necessidade dos usuários gerenciarem, instalarem ou fazerem upgrade de software.
  • Uma falha de equipamento não resulta em perda de dados, já que os dados ficam seguros na cloud; 
  • O uso de recursos podem se aprimorar e escalar de acordo com as necessidades do serviço.
  • De modo geral, são oferecidos aplicativos acessíveis a partir dos dispositivos conectados à Internet. 

 

diferença entre saas, paas e iaas

Mas afinal, qual modelo em nuvem escolher?

 

Para responder a essa pergunta é necessário levar em consideração alguns aspectos técnicos e de gestão relacionados à empresa.

 

Quando usar IaaS? 

 

O IaaS é vantajoso para empresas de todos os segmentos, modelos e tamanhos, pois permite controle total sobre a infraestrutura e opera em um modelo de pagamento conforme o uso. Por isso, se encaixa na maioria dos orçamentos! 

À medida em que vai tornando menos comum investir em hardware físico e infraestrutura de TI, a escolha de alternativas IaaS é uma opção mais segura e confiável.

Com a maioria das plataformas IaaS, é possível ter acesso a suporte contínuo, além de ter a opção de expandir seus requisitos a qualquer momento.

Por isso, utilizar IaaS é uma ótima maneira de preparar um negócio para o futuro.

 

Quando usar PaaS?

 

Tanto quando o assunto é dinheiro ou tempo, o PaaS costuma ser a maneira mais econômica de um desenvolvedor criar um aplicativo exclusivo.

PaaS permite que o desenvolvedor se concentre no lado criativo do desenvolvimento de aplicativos, em oposição a tarefas operacionais, como gerenciar atualizações de software e patches de segurança. 

Sendo assim, todo o seu tempo e capacidade intelectual do profissional serão dedicados à criação, teste e implantação do aplicativo.

 

Quando usar SaaS?

 

As plataformas SaaS são ideais para quando uma empresa precisa que um aplicativo seja executado de maneira uniforme e confiável, com o mínimo de intervenção interna. 

Um bom exemplo disso são os servidores de e-mail. O usuário sabe que receberá e enviará e-mails sem a necessidade de alterar suas configurações ou atualizações constantemente.

Imagine se o seu servidor de e-mail falhou porque você se esqueceu de atualizá-lo e ficou dias sem e-mail? Isso simplesmente não é uma opção no mercado de hoje.

Se você usar uma plataforma SaaS para executar sua caixa de entrada de e-mail, as chances de algo dar errado são muito pequenas.

Então, se algo desse errado, caberia ao provedor de SaaS encontrar uma solução.

Você não está pagando apenas pelos aplicativos / produtos SaaS: você está pagando pela tranquilidade.

 

O que o líder técnico da IBM tem a dizer? 

 

Para encerrar esse texto, separamos algumas considerações feitas por Javier Barabas, líder técnico de cloud da IBM, sobre as diferenças entre SaaS, PaaS e IaaS. 

De acordo com Javier Barrabás, no método tradicional de consumo de serviços ou recursos, o dono da infraestrutura é responsável por gerenciar cada peça de hardware e de software usado

Sendo assim, normalmente, leva algum tempo para que um usuário acesse um novo recurso, ainda que este possa ser configurado exatamente como necessário.

Ainda segundo o líder da IBM, a infraestrutura tradicional está frequentemente relacionada a aplicativos de núcleo anteriores, talvez ligados a tecnologias mais antigas, que não podem ser migrados com facilidade para ambientes de cloud. 

Infelizmente, a elasticidade, a padronização e outras vantagens da nuvem não são motivos suficientes para a migração. Em alguns casos, até mesmo os regulamentos do país e uma segurança rígida podem obrigar os usuários a manter os dados próximos e/ou sob controle de gerenciamento total.

 

IaaS

 

Diversos casos de uso podem se beneficiar desse padrão. As empresas que não são proprietárias de um data center veem o IaaS como uma infraestrutura rápida e barata para suas iniciativas de negócios que pode ser expandida ou encerrada, conforme necessário. 

As empresas tradicionais que precisam do poder da computação para executar cargas de trabalho variáveis, com menos gasto de capital, são exemplos perfeitos da adoção de IaaS. Em ambos os casos, as empresas pagarão apenas pelos serviços usados.

 

PaaS

 

Javier afirma que o PaaS é o mais adequado para as empresas e/ou fábricas de desenvolvimento que desejam implementar metodologias ágeis. Os provedores de PaaS publicam diversos serviços que podem ser consumidos dentro dos aplicativos. Esses serviços estarão sempre disponíveis e atualizados. 

Ele permite uma forma simples de testar e fazer protótipos de novos aplicativos. Além de permitir que a empresa economize ao desenvolver novos serviços e aplicativos. Os aplicativos podem ser liberados mais rapidamente do que o usual para obter feedback do usuário.

A economia de API é o novo paradigma em desenvolvimento e a cloud fornece a plataforma ideal para sua implementação.

 

SaaS

 

Para concluir, Javier destaca que os padrões de SaaS são geralmente aceitos por diversas empresas que desejam se beneficiar do uso de um aplicativo, sem a necessidade de manter e atualizar a infraestrutura e os componentes. 

Como já exemplificamos antes, os aplicativos de e-mail, ERP, colaboração e escritório são as soluções SaaS mais aceitas. A flexibilidade e elasticidade do modelo de SaaS são grandes benefícios.

 

Conclusão 

 

Na adoção de cloud, não existe apenas uma solução adequada para todos os cenários. 

Então, as empresas precisam levar em consideração suas próprias necessidades, custos e benefícios e, então, decidir sobre o melhor modelo. Cada aplicativo e processo necessário é uma carga de trabalho e uma empresa que deseja migrar para cloud deve realizar uma avaliação profunda da carga de trabalho.

Agora que você já tem total conhecimento sobre as diferenças entre SaaS, PaaS e IaaS, ficou mais fácil definir qual modelo se adequa a necessidade da sua empresa.

A Robox é uma plataforma e-commerce para assinaturas e vendas recorrentes, que opera em um modelo de SaaS. Se você tem uma empresa que busca soluções dentro do mercado de assinaturas e recorrência, conheça as vantagens de operar seu negócio a partir da Robox.

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigos relacionados

Quer saber das últimas novidades do cenário digital?